Terapias com animais ajudam idosos e crianças

Terapias com animais ajudam idosos e crianças

A terapia com animais é uma prática cada vez mais utilizada e com benefícios confirmados - quer seja ao nível do desenvolvimento social, emocional, ou do físico e cognitivo. 

Não raras vezes, a diminuição da solidão e depressão através do contacto com o animal já ajuda a promover um melhor estado físico. "A diminuição da ansiedade e um aumento do estímulo para a prática de exercícios" são outros dos mecanismos para um aumento do bem-estar de crianças, idosos ou deficientes, diz a Associação Ladra Comigo.

Ainda de acordo com a institiuição, este tipo de terapia pode ser aplicada em áreas do desenvolvimento psicomotor e sensorial, bem como no tratamento de distúrbios físicos, mentais e emocionais. O processo de socialização e a autoestima também são melhorados quando o paciente está em contacto com animais.

A terapia com animais traz vantagens físicas, emocionais e psicológicas

Existem, no entanto, diferenças entre terapias assistidas por animais e atividades assistidas por animais. No primeiro caso, as mesmas são dirigidas por profissionais de saúde; no segundo, por voluntários com formação. Nas terapias, há uma definição concreta de objetivos e avaliações, com a finalidade de melhorias a nível cognitivo, físico, emocional e/ou social. Crianças com dificuldades de aprendizagem, por exemplo, podem beneficiar muito deste tipo de intervenção. Já as atividades não exigem objetivos terapêuticos específicos nem registos de avalização, mas produzem benefícios a nível motivacional, educacional e recreativo.

Segundo este artigo do Vida Ativa, o animal é "intencionalmente integrado no processo de tratamento de forma a ser um catalisador na melhoria das competências físicas, cognitivas, emocionais e sociais". Despertando empatia e capacidade de apego, os animais intrigam e despertam curiosidade, sem julgar, sendo assim uma vantagem no contexto terapêutico.

As terapias com animais podem ser utilizadas em qualquer tipo de pessoa ou patologia, tais como:

  • Idosos
  • Pessoas em dificuldades psicológicas
  • Reclusos
  • Jovens em situações de risco
  • Autismo
  • Hiperatividade
  • Paralisia cerebral
  • Pessoas com deficiência mental e/ou física
  • Deficiência auditiva



"As sessões podem decorrer em grupo ou individualmente, e todo o processo é documentado e constantemente avaliado. O animal é cuidadosamente selecionado e preparado de antemão sob a responsabilidade de um profissional na área da saúde", diz o Vida Ativa.

Vários estudos já demonstraram os benefícios destas terapias e atividades, como por exemplo:

  • Diminuição da pressão arterial;
  • Diminuição dos índices de colesterol;
  • Diminuição da frequência cardíaca e respiratória;
  • Aumento da autoestima e confiança;
  • Diminuição do sentimento de solidão;
  • Diminuição do stress e ansiedade;
  • Aumento das oportunidades de interação social.
O contacto entre o ser humano e os animais é um calmante natural, uma fonte de amor incondicional e sem qualquer ligação com o comportamento ou aparência das pessoas. Em Portugal, este género de terapias ainda está numa fase de descoberta e estruturação, mas já é normalmente utilizado em países como EUA, Holanda ou Inglaterra.