Envios GRÁTIS em encomendas superiores a 65€ s/IVA
  • 0
Envios GRÁTIS em encomendas superiores a 65€ s/IVA

As diferenças entre a gripe a constipação

Se tem mais de 65 anos ou tem a seu cargo uma pessoa idosa, certamente já terá recebido o alerta para a toma da vacina da gripe. Normalmente, esse procedimento faz-se entre outubro e novembro, sendo que estamos já em plena época gripal.

No entanto, persiste ainda um grande desconhecimento quanto às diferenças entre a gripe e uma simples constipação, que muitas vezes até leva os doentes a tomarem antibióticos, o que é um erro grave – já que estes atuam sobre as bactérias e não sobre as infeções virais, que é o caso das gripes e constipações. Além disso, os antibióticos nunca devem ser tomados sem prescrição médica. Pede-se atenção redobrada durante a gravidez e o aleitamento.

A vacinação ainda é uma das formas mais eficazes de evitar o contágio da gripe.

Vejamos então as principais diferenças entre estes dois tipos de infeção, para que fique a conhecer melhor os sintomas de cada um.

A gripe é doença aguda viral, que afeta as vias respiratórias e que se transmite através de espirros, tosse e contacto direto com objetos contaminados. A prevenção é feita através da vacinação, do uso de máscaras, isolamento e lavagem frequente das mãos.

Os sintomas são vários, mas os principais são um mal-estar repentino, dores de cabeça e nos músculos, febre alta e olhos inflamados. As recomendações médicas passam pelo repouso, a toma de paracetamol para baixar a febre, utilização de soro fisiológico para a congestão nasal e beber muitos líquidos.

Repousar e utilizar lenços para tossir ou espirrar são recomendações em ambos os casos de infeção

Já a constipação, que também é uma infeção viral das vias respiratórias, transmite-se através do contacto com as secreções respiratórias da pessoas. Previne-se com a lavagem frequente das mãos e com o uso de um lenço de papel para tossir ou espirrar – em alternativa, usar o antebraço.

Os sintomas caracterizam-se pela congestão e pelo corrimento nasal intenso, comichão e vermelhidão no nariz, além da perda do olfato ou paladar, espirros, olhos a lacrimejar, dores de cabeça e garganta e ainda febre baixa.

É recomendável passar algum tempo de repouso, ingerir muitos líquidos, não andar ao frio e evitar ambientes com fumo. A obstrução nasal pode ser contrariada com o uso de soro fisiológico e, para baixar a febre ou para as dores, tomar paracetamol.

As grávidas fazem parte do grupo de risco para contrair a gripe.

Para pessoas que fazem parte de grupos de risco (idade igual ou superior a 65 anos, doentes crónicos, grávidas e diabéticos, entre outros), a gripe pode levar a outro tipo de infeções. Tal acontece devido a uma fraqueza generalizada no sistema imunitário. É aconselhável ir ao médico se a febre alta durar mais de três dias e se o paracetamol não a baixar durante pelo menos seis horas.

Se faz parte do grupo de risco, ainda pode tomar a vacina este ano. Aconselhe-se com o seu médico de família e, em caso de dúvida, pode sempre ligar para a linha Saúde 24.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *